Manutenção
23 Abr 2019

Alternador: como identificar possíveis falhas?

Na maioria dos casos, quando um alternador falha completamente, a luz de carregamento acende no painel. Quando isso ocorre, você pode enfrentar um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Travamento do motor durante a direção (devido à perda de energia elétrica);
  • Problemas ao ligar o veículo;
  • Repetida necessidade de pular o arranque do veículo devido à bateria descarregada;
  • Escurecimento do painel de instrumentos e luzes da cabeça;
  • Ruído anormal;
     

Existem diferentes maneiras de o alternador falhar:

Subcarga: Quando o alternador está descarregando, as luzes podem diminuir ou tremer e a bateria ficará descarregada. Uma bateria descarregada pode resultar em um veículo difícil de iniciar ou que não inicia. Se você estiver dirigindo o veículo quando o alternador apagar, o veículo poderá, eventualmente, parar. Em carros modernos, um alternador de carga insuficiente pode resultar em uma luz do motor de verificação iluminada. Também pode causar vários tipos de problemas com os controles eletrônicos e do computador de bordo.

Sobrecarga: Um alternador sobrecarregado pode ocasionar uma curta vida útil da lâmpada. Em veículos modernos, um alternador de sobrecarga pode resultar em uma luz de motor de verificação iluminada, assim como diversos problemas com os controles eletrônicos e do computador de bordo.

Ruídos nos rolamentos: Em alguns casos, um alternador ainda pode funcionar corretamente, mas faz muito barulho. Normalmente, o ruído será um zumbido agudo que coincide com as rotações do motor. Isso normalmente indica que os rolamentos dentro do alternador estão falhando.

 Mas afinal, como funciona um alternador?

O alternador é a parte principal do sistema de carregamento. Ele não só carrega a bateria, mas também fornece energia para todo o veículo quando o motor está funcionando. Sem o alternador, seu veículo morrerá rapidamente. Para desenvolver a corrente, o alternador depende de algo chamado indução eletromagnética. Esse fenômeno ocorre quando um condutor é movido através de um campo magnético, resultando na produção de eletricidade.

Dentro do alternador há um conjunto estacionário de enrolamentos, chamado de estator, e um eletroímã giratório, chamado de rotor. Os bobinas de campo do rotor recebem energia através de escovas que deslizam contra anéis coletores. Para afastar o alternador do virabrequim do motor, um cinto é usado, e a polia de acionamento do alternador está diretamente conectada ao rotor. Quando o motor gira, o rotor gira e a eletricidade é gerada nos enrolamentos do estator.

O alternador produz corrente alternada (CA) e o resto do veículo usa corrente contínua (CC). Como resultado, a CA deve ser convertida em CC através de uma ponte de diodo retificado. Os diodos são basicamente válvulas de retenção unidirecionais que impedem que a CA flua nos dois sentidos. Esse processo, conhecido como retificação, converte corrente CA em CC. Em veículos mais antigos, um regulador de tensão é usado para controlar a saída do alternador. O módulo de controle do motor (ECM) regula a saída do alternador nos veículos do modelo final.

 Fonte: Oficina On-line